FIBREGUARD: 5 PRINCÍPIOS DO DESIGN SUSTENTÁVEL

O design sustentável pode ser difícil de definir porque tem vários fatores envolvidos. Neste artigo, analisamos a definição particular de design sustentável da marca FIBREGUARD, que representamos em exclusivo em Portugal, e de que forma é que influencia todas as fases da produção destes tecidos.

Estamos a partilhar esta definição consigo hoje, porque acreditamos que é útil para designers de interiores e arquitetos ao nível mundial.

 

O QUE QUEREMOS DIZER COM ‘DESIGN SUSTENTÁVEL’

 

Primeiro, vamos responder à pergunta: o design sustentável é a filosofia de um futuro melhor. Trata-se de resolver problemas não apenas para os utilizadores de um determinado espaço, mas também para o ambiente em que este se insere. É sobre projetar produtos e espaços de forma holística, através de decisões criteriosas dos designers.

Sharlyn Underwood, presidente da American Society of Interior Designers (ASID) na Virgínia e designer de interiores da Smith Lewis Architecture, define o design sustentável na arquitetura da deseguinte forma: “O design sustentável é a prática de projetar edifícios para que existam em harmonia com os sistemas naturais. ”

Há duas coisas muito importantes a lembrar quando se trata de design de produto sustentável:

  1. Um: os requisitos do design sustentável não estão lá apenas para serem acrescentados ao final do processo de design como um extra “é bom ter”. A sustentabilidade tem que estar presente em todas as etapas do processo de design, desde a conceção criativa até o projeto finalizado.
  2. Dois: os designers de interiores são poderosos. Têm uma responsabilidade para com o futuro do planeta, porque escolhem os materiais ​​com os quais as pessoas interagem todos os dias.

 

Tendo esses pontos em mente, aqui estão os cinco princípios do design sustentável conforme os definimos:

 

UM: APRENDER COM A NATUREZA

O mundo natural está sempre em movimento. A flora e a fauna têm os seus próprios ciclos e ambas contribuem para a saúde do mundo natural. O mundo do design sempre se inspirou no mundo natural, por diversos motivos.

|“A natureza não faz nada inutilmente.” – Aristóteles

A natureza, por exemplo, ajusta a forma à função. Recicla tudo e está sempre a reinventar. O mundo natural é feito de delicados equilíbrios entre criaturas vivas, plantas e insetos. A natureza recompensa a cooperação desses diferentes equilíbrios.

Como podem os designers de interiores, arquitetos e até a própria indústria têxtil, copiar o mundo natural?

Devem adaptar-se. Em vez de reagir a um mundo em mudança, precisamos nos tornar o que foi descrito como “antifrágil”.

|“A antifragilidade está além da resiliência ou robustez. O resiliente resiste a choques e permanece o mesmo; o antifrágil fica melhor. ”
– Nassim Nicholas Taleb, Antifrágil: Coisas que ganham com a desordem.

 

 

DOIS: APRENDER COM A NATUREZA PRESERVANDO TODO O CICLO DE VIDA

Durante anos, os países industrializados confiaram em formas de energia armazenadas não renováveis (carvão, petróleo e gás natural). Também consumiram energia em taxas de desperdício.

O mundo acordou para o fato de que a conservação de energia é uma grande parte do design sustentável.

Uma forma inteligente de economizar energia num projeto é avaliar o impacto ambiental dos materiais e produtos em todo o seu ciclo de vida.

TRÊS: RESPEITO PELAS PESSOAS E PELO MEIO AMBIENTE

O meio ambiente não é a única coisa que o design sustentável respeita. Também respeita os humanos e suas necessidades.

Durante grande parte do século passado, a arquitetura trabalhou com a função do espaço em vez da forma. Isto está a mudar, pois percebemos que o design sustentável é tão importante por razões ecológicas como também para a saúde das pessoas.

Uma das formas de FibreGuard respeitar o planeta e os consumidores é através da certificação do STANDARD 100 pela OEKO-TEX®.

 

 

QUATRO: RESPEITO PELO MEIO AMBIENTE LOCAL

Na arquitetura, uma aproximação o mais possível ao ambiente local é fundamental quando se trata de sustentabilidade.

Este foco refere-se ao respeito pela história e estética da região, bem como pela paisagem envolvente.

 

           

 

CINCO: RESPEITO PELO FUTURO

O design sustentável, como dissemos no início deste artigo, é focado no futuro. Os outros quatro princípios do design sustentável interligam-se com este último, culminando no respeito fundamental pelo futuro.

A FibreGuard, assume o compromisso de atender de forma proativa às necessidades do planeta, em vez de apenas reagir aos desafios apresentados pela industrialização global.

Esta proatividade é voltada para o futuro.

 

DESIGN SUSTENTÁVEL NA FIBREGUARD

Na FibreGuard, sabe-se que as premissas forma e função funcionam melhor quando consideradas em conjunto. Afinal, todos querem beleza nos seus interiores. Todos querem uma arquitetura atraente.

Todos também desejam que os objetos que usam e os espaços que habitam sejam funcionais, acessíveis e seguros. A qualidade é outro componente essencial das coleções de tecidos que são criadas. FibreGuard empenha-se em combinar excelência técnica com qualidade e design, proporcionando inspiração e tranquilidade aos entusiastas de interiores.

 

Forma + função + qualidade + estratégias de design sustentável são os valores fundamentais que defendemos.

Torne-se nosso parceiro hoje!

Vamos preservar o nosso futuro!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top